Normas de Publicação

Instruções aos Autores

Versión española

A Revista Panamericana de Infectología é o órgão oficial de divulgação da Asociación Panamericana de Infectología (API) e tem como principal objetivo estabelecer um elo de comunicação e integração entre os infectologistas das Américas. Sua publicação é trimestral e é distribuída em hospitais, clínicas, instituições de ensino e pesquisa. Nossos principais leitores são especialistas em doenças infecciosas e outros profissionais de áreas afins. O conteúdo da revista pode ser consultado via internet, no site www.revista-api.com

A REVISTA aceita trabalhos em português, espanhol ou inglês e é constituída pelas seguintes seções: editorial, artigos originais, artigos de revisão (atualização), notas prévias/cartas ao editor e relatos de casos. Além disso, a revista traz informes sobre os principais eventos científicos relacionados à especialidade. Os artigos de revisão (atualização) serão solicitados a critério do Editor-Chefe. Os artigos devem ser dirigidos ao Prof. Dr. Sérgio Cimermann, Editor da Revista Panamericana de Infectología.  O trabalho pode ser enviado por via eletrônica para: bevilacqua.editora@gmail.com ou www.revista-api.com

Cada artigo ou trabalho receberá um número de registro e o autor será notificado de que o manuscrito está completo e apropriado para dar-se inicio ao processo de revisão.

O trabalho deve incluir arquivo Word em formato carta, letra Times New Roman ou Arial, com tamanho de letra 12pt, com espaço de 1,5 linhas e justificado à esquerda. Todas as páginas devem ser numeradas, começando pela página de título. Em outros arquivos e anexos deverão ser incluídas as Tabelas / Quadros e as Figuras. Solicita-se que os artigos originais não ultrapassem 2.500 palavras.

Os “Artigos de Revisão” e os “Artigos Especiais” podem estender-se até 3.000 palavras. Se aceitará um máximo de 30 referências bibliográficas e até 6 figuras e tabelas. As unidades de medida em qualquer seção deverá seguir o sistema internacional (SI). A extensão máxima recomendada para as notas previas, relatos de casos e cartas ao editor é de 1.500 palavras. Serão aceitos um máximo de 15 referências bibliográficas e até duas figuras e/ou tabelas.

Os trabalhos serão avaliados pelo Editor e por dois especialistas anônimos eleitos entre os membros do Comitê Editorial e entre os associados da Asociación Panamericana de Infectología com reconhecida experiência no assunto. O Comitê Editorial tem a faculdade de recusar os trabalhos que não julguem apropriados, assim como de propor modificações quando o considerar necessário. A correspondência com os autores será realizada, sempre que seja possível, por correio eletrônico. Os manuscritos deverão apresentar a seguinte estrutura:

 

Carta de apresentação – Os trabalhos deverão ser precedidos de uma carta de apresentação dirigida ao Editor da Revista, na qual deve constar o título do trabalho, um parágrafo destacando a importância do artigo e a seção na qual é solicitada sua publicação. Os autores devem explicitar que o trabalho não tenha sido publicado anteriormente nem sido enviado simultaneamente a outra revista e ainda indicar que todos os autores estão de acordo com o conteúdo do trabalho, que cedem os direitos de publicação para a Revista Panamericana de Infectología e que não existe conflito de interesses.

 

Primeira página – A primeira página do trabalho incluirá obrigatoriamente os seguintes pontos: Título do trabalho conciso, completo e explicativo sobre o assunto ao qual se refere, no idioma original (espanhol ou português) e em inglês. Nome completo dos autores, sem abreviações. Os autores deverão indicar a forma em que desejam ser citados. Título acadêmico completo dos autores, com o nome e o endereço da instituição de trabalho à qual estão ligados. Especificação da unidade e do departamento da instituição onde o trabalho foi realizado. Nome, endereço, E-mail e número de tel. /fax do autor designado para receber a correspondência.

 

Resumo e descritores – O resumo deve ser enviado no idioma original (espanhol ou português) e em inglês. Extensão máxima de 250 palavras para os artigos originais e de revisão, e de 100 palavras para as notas prévias e relatos de casos. Ser informativos e não indicativos, explicando de forma clara os objetivos, métodos, resultados e conclusões derivadas do estudo. Nos descritores deve-se incluir o mínimo de três, até o máximo de 10 palavras-chave, no idioma original e em inglês, de acordo com DeCS – Descritores em Ciências da Saúde, publicação da BIREME (Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde).

 

Corpo do texto – O trabalho deve ser dividido nas seguintes partes:

  • Introdução – Deve ser sucinta, proporcionando unicamente a informação necessária para compreender o trabalho que será apresentado posteriormente. Não se deve incluir dados nem conclusões. O último parágrafo deverá expor de forma clara os objetivos do trabalho;
  • Materiais (ou Pacientes) e Métodos – Deve explicar a metodologia utilizada, os critérios de seleção empregados, informação sobre a população estudada, dados sobre as analises estatísticas e informação concernente aos aspectos éticos do estudo. Em caso de experimentação com seres humanos, é obrigatório o cumprimento dos acordos da Declaração de Helsinki (revisão de 2000). Os nomes comerciais dos medicamentos devem ser acompanhados do nome genérico correspondente, esclarecendo sempre as doses e a via de administração;
  • Resultados – Devem expor exclusivamente a descrição e não a interpretação dos dados obtidos com a metodologia utilizada no trabalho. Devem resumir as observações mais importantes, com cuidado para não repetir as informações mostradas nas tabelas, figuras ou gráficos. No caso de se apresentar um volume grande de dados, deverá dar-se preferência aos gráficos no lugar das tabelas;
  • Discussão – Devem ser ressaltadas as conclusões e os aspectos mais importantes do trabalho. Deverá evitar-se repetir as informações já apresentadas. Ressaltar as inferências dos resultados, as deduções elaboradas e também as limitações do estudo. Os resultados deverão ser comparados aos resultados de outros estudos e confrontar as observações finais com os objetivos do trabalho;
  • Agradecimentos – Devem ser limitados às pessoas e instituições que efetivamente contribuíram para a realização do estudo;
  • Financiamentos – Informação detalhada sobre a fonte de financiamento. Se não existir ajuda financeira, os autores deverão declarar que não existe conflito de interesses;
  • Material ilustrativo Qualquer material utilizado para ilustrar o trabalho (tabelas, figuras ou imagens/ fotografias). Tabelas: devem ser numeradas conforme a ordem de aparecimento no  texto, utilizando números arábicos e que sejam fundamentalmente auto explicativas. O título deve ser sucinto e informativo. As observações necessárias para esclarecer abreviaturas ou outros termos deverão estar colocadas no pé da tabela. Figuras: devem ser numeradas conforme a ordem de entrada no texto, com números arábicos. Todas as explicações devem ser apresentadas nas respectivas legendas. Os gráficos e as figuras devem ser enviados no formato power point. No caso de figuras e fotografias deverá ser indicado o nome do primeiro autor. As fotografias digitais devem apresentar definição mínima de 300 Dpi. Observação: o corpo do texto e o material ilustrativo poderá sofrer modificações devido a questões exclusivamente de edição;
  • Referencias bibliográficas As referências bibliográficas devem ser numeradas consecutivamente na ordem em que forem mencionadas no texto, devendo ser identificadas com números arábicos colocados como exponentes. Os nomes das revistas devem ser abreviados, de acordo com o Medline. As citações sobre artigos originais deverão ser comprovadas e devem ser ordenadas der acordo com as normas de Vancouver (1997, edição revisada (Updated) Agosto 2013). Se houver seis (6) ou menos  autores, todos deverão ser citados. Se houver sete (7) ou mais, deverão ser citados somente os seis (6) primeiros com a expressão et al. Não deverão ser utilizados informes como “comunicações pessoais”. Trabalhos aceitos e ainda não publicados no momento da citação podem ser incluídos nas referências, especificando o nome da revista, seguido da expressão “no prelo” entre parênteses. A seguir, são fornecidos alguns exemplos dos principais tipos de referências utilizadas. O número máximo de referências bibliográficas aceitas é trinta (30), recomendando-se sempre que se limitem a um número menor.

 

Artículo de revista

Halpern SD, Ubel PA, Caplan AL. Solid-organ transplantation in HIV-infected patients. N Engl J Med. 2002 Jul 25;347(4):284-7.

Rose ME, Huerbin MB, Melick J, Marion DW, Palmer AM, Schiding JK, et al. Regulation of interstitial excitatory amino acid concentrations after cortical contusion injury. Brain Res. 2002;935(1-2):40-6.

 

Trabalho publicado por uma instituição ou corporação:
Diabetes Prevention Program Research Group. Hypertension, insulin, and proinsulin in participants with impaired glucose tolerance. Hypertension. 2002;40(5):679-86.

 

Trabalho publicado por autores pessoais e instituição ou corporação como autor (List all as they appear in the byline.) [Edited 12 May 2009]:

Vallancien G, Emberton M, Harving N, van Moorselaar RJ; Alf-One Study Group. Sexual dysfunction in 1,274 European men suffering from lower urinary tract symptoms. J Urol. 2003;169(6):2257-61.

Margulies EH, Blanchette M; NISC Comparative Sequencing Program, Haussler D, Green ED. Identification and characterization of multi-species conserved sequences. Genome Res. 2003 Dec;13(12):2507-18.
Volume com Suplemento:
Geraud G, Spierings EL, Keywood C. Tolerability and safety of frovatriptan with short- and long-term use for treatment of migraine and in comparison with sumatriptan. Headache. 2002;42 Suppl 2:S93-9.

 

Número com Suplemento:

Glauser TA. Integrating clinical trial data into clinical practice. Neurology. 2002;58(12 Suppl 7):S6-12.
Livros, teses e monografias:

Murray PR, Rosenthal KS, Kobayashi GS, Pfaller MA. Medical microbiology. 4th ed. St. Louis: Mosby; 2002.

Editor (s) / Compilador (s) como autor:

Gilstrap LC 3rd, Cunningham FG, VanDorsten JP, editors. Operative obstetrics. 2nd ed. New York: McGraw-Hill; 2002.

 

Autor (s) e editor(s):

Breedlove GK, Schorfheide AM. Adolescent pregnancy. 2nd ed. Wieczorek RR, editor. White Plains (NY): March of Dimes Education Services; 2001.

Instituição ou corporação como autor [Edited 12 May 2009]:

Advanced Life Support Group. Acute medical emergencies: the practical approach. London: BMJ Books; 2001. 454 p.

American Occupational Therapy Association, Ad Hoc Committee on Occupational Therapy Manpower. Occupational therapy manpower: a plan for progress. Rockville (MD): The Association; 1985 Apr. 84 p.

National Lawyer’s Guild AIDs Network (US); National Gay Rights Advocates (US). AIDS practice manual: a legal and educational guide. 2nd ed. San Francisco: The Network; 1988.
Capítulo de livro:
Meltzer PS, Kallioniemi A, Trent JM. Chromosome alterations in human solid tumors. In: Vogelstein B, Kinzler KW, editors. The genetic basis of human cancer. New York: McGraw-Hill; 2002. p. 93-113.
Conference proceedings:

Harnden P, Joffe JK, Jones WG, editors. Germ cell tumours V. Proceedings of the 5th Germ Cell Tumour Conference; 2001 Sep 13-15; Leeds, UK. New York: Springer; 2002.

 

Conference paper:

Christensen S, Oppacher F. An analysis of Koza’s computational effort statistic for genetic programming. In: Foster JA, Lutton E, Miller J, Ryan C, Tettamanzi AG, editors. Genetic programming. EuroGP 2002: Proceedings of the 5th European Conference on Genetic Programming; 2002 Apr 3-5; Kinsdale, Ireland. Berlin: Springer; 2002. p. 182-91.